Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

domingo, 24 de abril de 2016

Luz por te observar

Sem comentários

Impossibilitado de mais amar
Não me posso declarar
Estado de celibatário involuntário
Sincero, triste e no fundo otário.

Olho-te com vontade de mais partilhar
Já são mais as virtudes encontradas,
do que os defeitos a tolerar.
E sonho, é imaginar-nos de mãos dadas.

A realidade fica pelo observar,
conforto não te posso dar.
Assim contenho a vondade,
E escondo a realidade,
omito a verdade,
evito demonstrar,
que mais quero te amar.

E hoje uma delicía para meu olhar,
momentos em que te pude observar.
Viva estas para encantar,
Flor que me impeço de cheirar,
que teria todo o prazer em mais amar.

Mas sou realista,
aceito a minha condição.
Começar uma conquista,
viver a paixão,
e depois não continuar,
é para mim fraco amor,
assim compreendo e prefiro,
esta dor.
Fico no meu retiro,
aguardando o momento da possibilidade,
em que cheirar-te é uma realidade.

E hoje contente,
pude observar,
aquela que queria mais amar.

E assim um dia excelente,
Onde um seu gesto inocente,
foi luz para esta mente.

Sem comentários :

Enviar um comentário