Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

segunda-feira, 14 de março de 2016

Mais um esquema de Gigante

1 comentário

A industria de tabaco sempre as soube fazer, isto é, sempre dentro da legalidade. Bem nem sempre, mas neste caso sim. Neste momento no mercado estamos presentados com cigarrilha com filtro! Será boa opção escolher estes produtos baratos?
Estas duas marcas que mostro estão no mercado, a primeira NEWMINSTER vende 12 cigarrilhas a 1,90€ e a BREAK 17 a 2,80€. A marca BREAK dá mais opções tendo o Cinza o mais fraco, o vermelho, o mais forte e o intermédio. o Azul. Ficando a primeira marca a 0,1583(3)€ cada unidade, a BREAK consegue vender a 0,16470€, um pouco mais caro mas melhor qualidade de papel!
Ambos os produtos são de gama baixa e para o pobre. Aqui vou fazer referência apenas a um ponto, o produto! Em analise está o tipo de tabaco, a mortalha e o filtro. Ambos os produtos usam o mesmo método, uma linha fina de folha de tabaco colada com mortalha. No primeiro caso temos papel muito fraco e que dá sabor, a BREAK ao menos usa mortalha normal, mas com este método o nível de alcatrão sobe muito, principalmente no NEWMINSTER, fumar papel! Além do mau sabor que o NEWMINSTER provoca demasiadas cigarrilhas seguidas vão automaticamente provocar enjoo e vómito, penso ser do tipo de cola que usam, pois quando experimentar enrolar sem os extras o tabaco até é agradável.
Ao Chesterfield Cigarrilha não fiz análise mas é uma opção similar, depende apenas do gosto de cada um e consegue não ser tão forte como o NEWMINSTER.
Não entendo muito bem porque a lei permite omitir o alcatrão e nicotina destes produtos, mas mais uma vez o cliente é mal informado porque a lei assim o permite, haverá alguém interessado em fazer leis que protejam o cidadão?! Bem em Portugal não é de certeza.
E se poderem evitem estes produtos são péssimos para a saúde, mas claro óptimos para a carteira.

1 comentário :

  1. É de facto uma corrida com muitas curvas nas leis. Contudo também partilho da mesma indignação. Poderiam deixar o tabaco de enrolar para o pobre mas como até o rico já enrola o pobre novamente sujeita-se, desta vez a escolher entre marcas de cigarrilhas. Haja paciência... Eles mexem em tudo que dê lucro (centenas de milhoes em impostos por ano) e se deixar de dar eles voltam a subjugar as pessoas com opções - Máfia/Agiotas do governo

    ResponderEliminar