Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Terei eu razões para tanta indignação! !

1 comentário
Terei eu razões para tanta indignação 

Vivo em Portugal, um país cujo estado nunca teve um governo preocupado em fazer cumprir a constituição. Logo só devido a este factor existem direitos que não tenho. Contudo fica bem ter uma boa constituição, mas esta, apenas serve para parecer bem, pois não é cumprida. Chego a ter casos em que externos, ou seja humanos que não nasceram no meu país, terem mais direitos do que os seres que cá nasceram!
E depois tenho problemas com a lei! Pois quantas leis existem no meu país? Estão elas bem esclarecidas para todos cumprirem? Sabem os meus patriotas as leis? São elas educadas? Não! Até no simples andar na rua tenho problemas! A malta não sabe que tem que andar pela esquerda, muitas vezes obriga-me a parar e nem pede desculpa, pois nem se apercebe que cometeu um erro! Param no meio do passeio e pior muitas vezes em zona de passadeira, iludindo os condutores! 
Se perguntar a alguém que anda nestes modernos shopings, lá no local como reagiria em caso de emergência e deparo - me com o problema da ignorância!  Então evito, pois além de não andarem pela esquerda não saberão cumprir o plano de emergência! Fico assustado com isto, logo prefiro não frequentar. A esquerda ainda desculpo, pois foi na maioria dos casos um pensamento errado do arquitecto que fez fluxo de pessoas igual aos carros, quando é oposto, por questões de segurança. 
Mas as pessoas apenas me mostram ignorância em montes de questões simples!
Por exemplo qual a prioridade, entrar ou sair? E as pessoas cumprindo com o básico, o egoísmo, não querem saber, para elas é igual, tem é ir, sem pensar logicamente! Se o local está cheio, será mais fácil entender que se dá prioridade a quem sai. Mesmo assim quantos não se aventuram e querem furar!
As paragens de autocarro são um bom exemplo de como as pessoas andam cá sem pensar, logo ignorantes lhes posso chamar, como Nietzsche fazia, prefiro básicos, senão reparem, chegou mesmo a fazer-se indicadores pintados no passeio para os básicos entenderem o fluxo, contudo o egoísmo básico coloca as pessoas a querem entrar em primeiro, assim vejo pessoas a sair e filas no sentido errado havendo cruzamento entre pessoas totalmente desnecessário, ou seja existem casos em que a fila impede pessoas de sair, não é culpa da empresa STCP é mesmo ignorância do portuense! Também é assim na capital?
E ainda neste pequeno espaço, que é Portugal, fez-se referendo quanto aos transgénicos? Não, pois não vivo democracia, vivo uma ilusão democrática! Quem assinou? Certamente que ficou com as finanças em dia. Sou contra o consumo transgénico geral, devia haver um local no mundo onde voluntários consumiriam transgénicos durante 50 anos para se estudar a diferença entre o produto natural e o alterado. Fazer bem e ético não importa, as multinacionais querem é lucro. Nessa guerra que envolve patentes, já se conseguiu patentear um produto natural! E a esta altura do campeonato, já prefiro que as multinacionais tenham a patente do produto natural mas garantam o produto natural, pois tal como disse sou contra o consumo transgénico e a guerra das patentes existe porque tendo a patente existe lucro controlado e patentear um transgénico é fácil, um produto natural deveria ser impossível mas já foi feito!
E continuando na Europa, descobri que nesse parlamento as multinacionais tem muita força, pois alguém com ideias decentes para toda a população Europeia foi barrada de fazer o ético e correcto ficando então toda a população europeia à mercê na mesma das multinacionais, e este parlamento tomou medidas apenas para tapar os olhos, não executando eticamente correcto, possibilitando uma multinacional que mostrou poder, de continuar a vender lixo ao europeu sem ele dar conta nem ter opção. Fiquei contente por na Índia esta multinacional não ter a mesma sorte, pois se na Europa perdia milhares de milhão, na Índia assim aconteceu, pois dois produtos foram logo retirados do mercado! Vender chumbo a crianças! Qualquer metal a mais mata, o organismo humano não se livra dos metais, logo começar cedo a consumir metais é condenar e esse humano a morrer cedo. 
E assisti a dois nobel, que o ganharam não por terem apresentado variáveis que ajudem a resolver a questão, mas sim em cumplicidade com o sistema aproveitaram os desequilíbrios, ou seja neste momento o problema continua, apenas mais aproveitam este desequilíbrio que só existe pelo fraco processo de globalização, uma globalização que nós Portugueses começamos com os Descobrimentos e que o Americano está agora a usufruir. O erro é simples, só existirá uma globalização coerente e equilibrada quando existir moeda única global.
Mas não existe interesse nisso, pois o dinheiro está a ser usado como ferramenta de controlo e cada espaço acha necessário controlar à sua maneira! Contudo levamos com a globalização e as injustiças são evidentes, neste momento muitos não tem mercado meramente por existir o desequilíbrio monetário! 
E somos todos diferentes, mas devíamos ter direitos iguais, contudo tal não se verifica.
E fico contente por saber que existem tribos menores de cem elementos que vivem bem e em harmonia com a natureza, sem dinheiro. Fico triste por não ter nascido num desses locais, onde com a idade que tenho, quase 38, já teria cumprido a minha função básica e se cá já não estivesse já tinha cumprido.
Aqui onde nasci, estou sem os direitos que dizem que tenho e nada faço sem dinheiro, logo liberdade é uma ilusão. E tentam-me obrigar, tentam-me explorar e como nunca aceitei o crédito, pois para mim é um erro, não me conseguiram realmente obrigar, pois não tenho nem quero a responsabilidade de pagar uma casa. Algo que apenas serve para dormir e guardar lixo. E fazem da habitação, algo que devia ser básico e garantido, um problema. Pois quem paga uma casa, fica a vida toda a fazê-lo, morre e fica a casa para quê? Para criar mais problemas pois agora é particular e pode ficar anos sem uso. E se o português não tivesse que pagar a casa, não viveria melhor, não conseguiria poupar efectivamente? Assim poupar não existe, pois o dinheiro tem é que circular! A pobreza fica mais fácil assim, e o povo fica mais facilmente explorado!
Esta é a minha realidade, sou um ser que tem vergonha de ser humano, pois este é um ser que se diz inteligente mas apenas me mostra ignorância e destruição, vivemos o inferno porque o humano não sabe melhor, então tudo está perfeito, se não está melhor é porque não sabemos mais, contudo verifico que o humano não está educado para a mudança e a aceitação de fazer correcto está a basear-se na moral para se proteger, e moral permite acções erradas mesmo sabendo que o são, pois o grupo tolera e nestas tolerâncias a mais não passa um dia sem eu ver os mesmos erros, sem ver vontade em os corrigir, tudo porque existe uma moral, e depois de estudar o assunto concordo com Nietzsche a moral é absurda e um empecilho na evolução humana.
Adoro a ética, mas verifico que os nossos governantes e os que os controlam pouca têm, logo vejo-os como um problema e não como uma solução. 
Pois analisando bem, Padres, Políticos e Vendedores não são necessários numa sociedade ideal, e neste momento eles existem e todos fazem o mesmo, enganam! Esta ideia de fazer acreditar tem milénios e eu não acredito, eu observo e concluo, ou sei ou não sei, acreditar é um erro humano, contudo 98% da população mundial, ou até mais, acredita! E o mais incrível, a definição é subjectiva, só me fazem rir, mas o humano adora a subjectividade, ela permite o erro, e se errar é humano, cometer o mesmo erro todos os dias é insano, então eu vivo rodeado de insanos e agora que posso eu fazer?
Tolerar dá-me insatisfação, chamar à atenção não resolve, e mais incrível corrigir no momento estava a funcionar, mas fui internado num hospital psiquiátrico e convidado a ser normal!
Ser normal?! Só me gozam! Vivo rodeado de insanos e pedem para ser normal! Pedem para aceitar e tolerar, que é isto! Querem que tenha uma depressão séria?!
Quando for expulso de casa, a minha vontade será de ser eremita e não voltar a ver um humano à frente.


1 comentário :

  1. Confesso que li atentamente os primeiros parágrafos, depois fui lendo em diagonal, ( isto não quer dizer que eu não tenha visto todos os pontos que tocastes e todas as tuas conclusões) por vicio de formação , leio e compreendo rapidamente e com uma visão macro, pulo para o lado de quem escreve e sinto mesmo o que pretendeu transmitir aos leitores. Gosto ao contrario do que se seria de prever , a tua veia pela escrita das palavras que divagam unindo pensamentos. Ficam muito bem transmitidos, se quiseres saber.
    No entanto, vou dividir contigo e com quem mais que aqui venha também, o que sinto sobre quase tudo que escrevestes hoje.
    Quando enfrento o dia a dia onde o caos ou o individualismo se fazem presentes, transporto-me para uma dimensão onde não permito que os meus pensamentos menos positivos me invadam. Depois com toda a gratidão que eu possa ir buscar ao meu coração, aproveito cada minuto do que ali presencio.Ali, muitas são as vezes com que me cruzo, com "a minha própria pessoa", que já foi, que ainda é, e que poderá vir a ser. Por defesa ou por sabedoria, acredito que tudo que emanamos não passam de vibrações de energia, e que a energia que se cola em nós provocará reacções, pensamentos ou mesmo sentimentos, e é aí que encontro a gratidão. Talvez erradamente seleciono a energia que me faz sentir bem , aquela que me permite observar a vibração da gratidão, por estar atenta , e que mesmo que por ímpeto da formatação defeituosa do meu Ser, vou julgando outros Seres que por mim passam, mas bloqueio qualquer pensamento de condenação.
    Assim e como já disse, não sei se por vicio de formação, ou por ser essa a minha essência, julgar é um ato por vezes necessario, para que estabeleçamos a definição do caminho que optamos seguir, mas condenar (atos corriqueiros e simplórios de quem os comete) é pretenciosismo de quem não tem a consciencia de que o que nos incomoda tem muitas vezes a ver com o estado de Espírito que nos envolvemos. E se por alguma razão, estamos aqui e agora , deverá ser para Sermos Felizes pelo simples fato de aqui estarmos e nos sentirmos importantes apenas por isso. O "outro" que por vezes nos incomoda, pode ser parte do aprendizado que tenhamos que fazer ...em nos afastarmos,tal e qual um imã com as duas faces iguais, que se repulsam, por mais que alguém ou alguma coisa os tente unir. Assim julgo , mas não condeno, porque comprendi que aquela energia não é para mim. Respeito-me porque me observo atentamente e admito de forma prioritaria que sou apenas e tão só uma energia, mas que os outros também o são. Como cidadã entendo que muitos políticos que nos representam, não entenderam ainda que o mal que fazem pelo individualismo desmedido, ou por ignorância de nem imaginar as dificuldades dos seus governados, terão seus dias contados pela própria experiencia negativa/dolorosa que terão eles próprios em suas vidas, pois também eles são vidas e energias tal como eu. Muito embora saiba que julgar levará fatalmente a uma condenação , evito ao maximo condenar-me á privação de liberdade de sentir, o mundo que escolhi vivenciar... è assim que entendo as coisas e com todo o respeito decidi dividir contigo, expondo-me á tua analise. :)

    ResponderEliminar