Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

A educação no meu país

Sem comentários

Ontem estive no grupo, a uma dada altura verifiquei a dificuldade que uma criança estava a ter para perceber simples definições matematicas. Deu-me vontade de experimentar um metodo, algo que falo de duas ferramentas, sua utilização e com um circulo, ou circunferência ou sol como me disse o miudo e amei a sua comparação. Mas só interrompi no fim, algures entre a aula de matemática e a de inglês.

Mostrei em tão o sol, feito com a ferramenta, compasso, fiz entende que o transferidor é metade, e a matematica mostra, o limite do transferidor é 180 graus, logo vezes dois dá 360 graus, foi percebida a totalidade, mas até aqui, já tinha o sol, a linha do horizonte, fiz a vertical, mostrei que dividia em partes, e peguei numa parte, quanto era em graus? 1/4 era igual a 90 graus, e agora para chegar ao todo, 90x4.

Não interessou se o sol esta a por, ou nascer, interessou identificar as rectas e perceber um pouco de angulos.

Tracei uma paralela, mostrei os pontos comuns com  a linha horizontal, mas as duas verticais não se cruzam, não tem ponto comum, nunca de vão cruzar, como uma linha de comboio, amei a associação, mostrou entendimento.

E nas perguntas finais as dúvidas tinha ido embora, perguntei se curtiu e ele sorriu e disse que sim, rematei que só no teste é que me mostra que aprendeu.

E ele entendeu a horigem do horizontal, pois mostdei-lhe a linha do horizonte, onde estava o sol.

Não dei mais saber, porque fui travado, ele ainda não deu isso. Parei triste, pois ficava já com este saber arrumado.

Em conversa com o amigo de infância descobri que ele é mesmo forçado ao metodo, metodo que pode servir para uns e não para outros e se a minha mestre de matemática soubesse disto e estivesse bem, ui que chamadas de atenção ela iria fazer, mas eu seu pupilo e da vida vou tentando, bocadinho a bocadinho, ensinar saber como deve ser, porque fazer entender é mais importante do que o metodo, o metodo quantos mais tens, mais ferramentas tens ao dispor para fazef entender.

E  cheguei mesmo a dizer ao meu amigo, se precisares de alguem para receber culpa, cá estou. Culpa-me de ter feito a criança entender e ficar a saber.

À noite com uma criança, filha de um amigo, acabei por arranjar uma folha e brincar com a roda novamente,

Estava a 60% mas penso que ficou sem dúvidas agora e ainda lhe mostrei a do portugues e a matematica, quando um amigo tentou dizer que saber interpretar portugues em problemas matematicos é importante.

Se o metodo não funciona muda-se, forçar só um não é produtivo, não aprendemos todos da mesma maneira, mestre é aquele que reconhece o melhor método para quem esta a receber o ensinamento, porque o produto Final é que conta.

Interessa aos pais verificar se sabe, isso pode fazer um dois exercicios, do que verificar que fez muitos, pois muitos em dúvida dá abertura para falhas.

E se o pai não sabe a tecnologia ajuda, ou não sabe usar a internet!


Sem comentários :

Enviar um comentário