Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Ser root do Android

Sem comentários


Lembro-me de instalar o meu primeiro linux e quando fazia login no X como root ele aparecia com o ambiente de trabalho vermelho, motivo, ATENÇÃO! Sim ser root significa ter controlo total da máquina. Isto será bom?! Bem não é bom nem mau, é simplesmente assim, o recomendado da altura era fazer uso como um utilizador normal e sempre que queria alguma tarefa que precisava de root, eu dava essa permissão na hora. Assim em caso de engano corria menos riscos de danificar o sistema.
Nos Android é igual, normalmente não temos necessidade de ser root, mas caso queiramos uma tarefa que dessas permissões necessita, existe uma aplicação o su (super user) que gere estes privilégios, claro está que ele só funciona em máquinas que estão com o root activo, funcionabilidade que os fabricantes e as operadoras não disponibilizam. Existe sempre a ideia de querer controlar a máquina por ambas as partes hehe é engraçado, o operador dá-se ao trabalho de construir um sistema fechado (como se isso fosse bom) de forma a garantir não sei muito bem o quê?!! Segurança?! O utilizador por outro lado vê-se obrigado a procurar maneiras de "abrir" o sistema de forma a poder executar algumas tarefas que lhe podem melhorar o funcionamento da máquina.
"Rooutear" um telefone é uma tarefa avançada. Querer ser root do telefone (Administrador) é normal em utilizadores avançados que querem mais da máquina. Normalmente fazem uso de aplicações que necessitam desta funcionabilidade activa.
Existem aplicações que necessitam deste privilégio para terem acesso a certos comandos que só como root é possível, comandos esses que possibilitam pequenas modificações com o intuito de melhorar o funcionamento da máquina, como por exemplo definir como queremos o processador no momento, se para gastar mais e termos mais performance, ou gastar menos para poupar a bateria.
Não existe nenhum problema num sistema fechado! Para um utilizador comum até é melhor. O problema é que não existe suporte como deve ser ao sistema que rapidamente fica desactualizado, e um utilizador avançado que está normalmente atento a estas actualizações e quer tornar o seu sistema mais actualizado vê-se obrigado a mudar de sistema. Aqui vemos a vantagem de um sistema aberto, onde todos podem desenvolver e assim acaba-se por conseguir actualizar o sistema. Claro está que um firmware não oficial é sempre duvidoso, pois se ele trouxer algum exploit, trojan ou qualquer outro software malicioso, não podemos apontar o dedo a ninguém, apenas podemos mudar de sistema, as informações que ele recolheu e enviou bem aí não podemos fazer nada.
Nos firmware customizados normalmente já somos root, mas para os firmware de origem existem pequenos programas que conseguem explorar fraquezas no sistema e torná-lo root.
Existem Android em que o processo de se tornar root é amigável e está pensado, tornando-se uma tarefa simples de executar. Mas como nem sempre é assim existem pequenos utilitários que conseguem aproveitar erros no sistema fechado que vão permitir a tarefa de sermos root. Um dos meus favoritos é o Z4Root, mas já saiu do mercado! Normalmente é o que acontece a este tipo de software, desaparece do Market, mas consegui encontrá-lo na web, podem descarregá-lo aqui (link directo), ou no mirror da MediaFire.
Assim se não queremos trocar de sistema e apenas queremos fazer algumas modificações estes softwares são o utilitário ideal para o assunto. Testei o Z4Root no Optimus Boston 2.1 e no A5 Sapo 2.2 funcionou na perfeição.
Mas Routear para quê?
Uma das grandes vantagens de ser root é que podemos remover aplicações indesejadas que o fabricante instalou na área de sistema (junkware), e também fazer algumas pequenas modificações que à partida vão melhorar o funcionamento da máquina, como por exemplo fazer app2sd (aplicações para o cartão) que anula a limitação de aplicações. Por norma só temos a memoria interna do telefone para aplicações, o que  limita bastante o numero de aplicações que instalamos.
Podemos também fazer uma cópia de salvaguarda de todas as áreas do sistema, ou seja o verdadeiro Backup total. Customização total, até aos icons de sistema :)
E perco informação?
Dependendo do equipamento e método pode obrigar à limpeza dos dados do utilizador (/data), no caso do Boston e do A5 Sapo usei o Z4Root que obtém root por exploit e pelos testes que fiz não perdi nada.

Se quer optimizar a sua máquina Aventure-se :)


Sem comentários :

Enviar um comentário