Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Considero boa prática!

Sem comentários
Vou partilhar com vocês alguns momentos e depois então comentar.

Assim vou contar algumas pequenas histórias:



A apanha das picas




Pouco depois da minha primeira iluminação decidi que deveria fazer sempre frente ao que está mal, mesmo que moralmente aceite o contrário. É um pouco remar contra a maré, mas é um trabalho necessário, assim decidi que sempre que visse alguém proceder mal, não iria chamar á atenção mas sim corrigir o erro.

Sempre que na minha praceta alguém deitava um pica de cigarro para o chão eu limitava-me a ir apanhá-la e coloca-la no lixo.

Ao fim do terceiro dia tinha reduzido as picas no chão para mais de metade e em contra partida já tinha quem pensasse que eu era maluco.



A bosta dos cães




Tenho uma vizinha que se preocupa com os animais, já a vi com hábitos piores dos que tem agora. Pois agora é costume trazer um recipiente com água e algum produto. Assim que a cadela faz asneiras antes da altura ela limpa.

Certo dia, observei que a cadela foi ficando para trás, é muito normal pois já está bastante idosa e tem dificuldades até no andar, a vizinha foi levando os outros cães e a cadela sem a vizinha poder observar faz as suas necessidades na praceta!

Não existia sacos de cão no recipiente, então na altura não pode fazer nada.

A bosta de cão foi motivo de dialogo para muitas pessoas.

Ao fim da noite estava a passar por outro local e tirei um saco cão. Limpei a bosta sem problemas e se já tivesse sido limpa iria colocar o saco no recipiente.



Lixo no chão!




Certo dia estou a passar na zona e estão dois casais a dialogar sobre o lixo que estava no chão, de idiota a outros nomes para mim já estavam a demorar muito tempo a falar sobre um assunto que não merecia discussão.

Fui dar mais uma volta curta e quando voltei analisei melhor a questão e gastei uma viagem para colocar os três sacos do lixo no sítio devido!



Conclusão!




Tenho observado que as pessoas sabem perfeitamente o que está certo, mas ficam presas a moralismos e palavras e não agem.

Peço que reflictam, pois para os casos atrás referidos falar é perder tempo. Quanto mais treinarmos para agir correctamente sem pensar mais perfeitos nos tornamos, significa que não temos dúvidas do que estamos a fazer.

Quanto a picas, lixo e vidros partidos parecem coisas insignificantes mas lembrem-se sempre das crianças.

Para uma criança de 3 anos apanhar uma pica, uma chicla ou outra coisa qualquer do chão e meter á boca é muito simples e rápido. Não tentem culpar os pais que não estavam atentos pois bastam dois ou três segundos para acontecer. Indo mais longe imaginem uma criança que caiu e se curtou nos vidros de uma garrafa partida, acidentes acontecem, mas ela podia ter simplesmente caído, mas teve o azar de levar com os vidros de um acidente anterior fruto de algo acidental ou propositado.

Assim tenho observado que a malta não tem consciência dos actos que anda a cometer, mas não são só os adolescentes que ainda têm uma mente inocente e sem consciência, tenho observado muitos adultos que não têm moral nenhuma mas acham que a idade lhes dá o direito de a ter e mal ensinam !!!



Philo Philos Pachem


Até por acaso

Sem comentários :

Enviar um comentário