Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

A flor, a mulher e o amor

Sem comentários
Está um mestre sobre uma pedra relaxado e o aprendiz inquieto de um lado para o outro sem saber o que pensar nem o que perguntar ao mestre.
Entretanto passa num caminho um pouco a baixo um casal a discutir.
E o aluno vira-se para o mestre e diz:
Mestre não entendo o amor entre um homem e uma mulher, parece mais uma guerra interminável.

Sim diz o mestre, uma guerra por satisfação individual através de uma dualidade.
Será isso amor?!
Não meu jovem, quando entenderes o amor, amaras até a pedra onde me sento.
Amar uma pedra diz o jovem monge?!
O amor é uma construção ligada ao entendimento. Quanto melhor entenderes mais amas.
Imagina uma mulher como uma flor, que lhe fazes?
Arranco-a para ser a minha flor, a minha mulher e a guardarei para sempre.
O mestre responde: - Então amarás pouco, gozaras pouco, e guardarás morte!
Entendo. Devia cheira-la, entende-la, toca-la, e esperar que no dia a seguir tenha o prazer de o poder voltar a fazer.
E o mestre diz: - Estou contente, mostraste-me a tua inteligência.

Sem comentários :

Enviar um comentário